O QUE FAZER NO PORTO | ROTEIRO

Prometi a uma amiga que vem ao Porto  fazer um roteiro básico da cidade. Como a organização ficou incrível e eu quero espalhar pro mundo que essa cidade é maravilhosa resolvi trazer pra cá também. Modéstia a parte é que não tem nada mais legal do que dividir lugares que a gente realmente gosta, né? O mapa tá lá no fim do post, força!

em vila nova de gaia

Porto é uma cidade super gostosa de visitar, como os lugares mais legais ficam meio próximos a maior parte dos passeios podem ser feitos totalmente a pé, pela Baixa que é o centro da cidade, mas é bom se preparar pra algumas subidas e descidas.

Organizei tudo em um mapa super completo onde eu detalho melhor todos esses lugarzinhos. Acho que o mapa é a melhor maneira de você escolher o que vai fazer por aqui, já que o estilo de viagem e quantidade de dias sempre variam. De qualquer forma vou contar aqui algumas rotas que eu acho legais de fazer, mas dai você consulta lá pra não perder nada no caminho!

Eu nem preciso dizer que o mais gostoso é caminhar pela cidade e descobrir as lojas, restaurantes, cafés do caminho. Os Portuenses são famosos por falar bastante palavrão e muitos parecem um pouco rabugentos, mas um sorriso – quase – sempre abre um outro sorriso e eles são também muito simpáticos.

A CIDADE

O Porto é a segunda maior cidade de Portugal e tem mais ou menos 240 mil habitantes, contando com toda a região metropolitana chega a quase 1.8 milhões de habitantes. É pequena, mas é só amor! É uma cidade super bonita e cheia de ruazinhas pra se perder. Eu ainda sinto que, mesmo andando bastante e sempre procurando os lugares escondidos, sempre descubro uma rua nova ou uma região diferente.

A cidade é ensolarada e tem bastante vento. A temperatura média no inverno fica entre 5º e 14º graus no inverno e no verão entre 20º a 25º, podendo ficar bem mais fria e bem mais quente que isso, claro.

uma das mil senhorinhas queridas que você vai ver no porto

ALGUMAS ROTAS

ALIADOS

A Avenida dos Aliados é super imponente e larga, é bem surpreendente e um dos lugares que ainda me impressionam quando eu passo. Aqui pode ser ponto de partida pra os próximos passeios que vou comentar principalmente porque fica próxima das estações de metro e comboio (trem) mais importantes  caso você se hospede fora dessa região mais central.

SÉ E PONTE LUIS I

Se você nunca veio ao Porto eu acho que é a primeira rota que você deveria fazer pra descobrir aos poucos e guardar a melhor vista da Ribeira aqui. Começando pela Estação de São Bento com seus azulejos lindos, sobe até a Praça da Sé onde a igreja super imponente é impressionante. Dali muita gente costuma ir descendo até a Ribeira mas eu recomendo ir direto para a Ponte Luis I e atravessar até Vila Nova de Gaia. A vista é impressionante e não tem como se surpreender com a altura da ponte e as casinhas empilhadas do Porto. Dali vá até Vila Nova de Gaia e veja a cidade do Porto de outra perspectiva. Pela Ribeira de Gaia é possível fazer a visita nas caves de Vinho do Porto, como na Ramos Pinto, por exemplo.

retomando as posses da família

RIBEIRA

Um passeio super gostoso de fazer é ir se perdendo pelas ruas em sentido à Ribeira, passando pela Rua das Flores e Largo dos Lóios, com restaurantes super gostosos. Por ali fica a Chocolataria Equador que é parada obrigatória pra quem gosta de chocolate e café. A Ribeira é a região ao longo Rio Douro que tem uma vista incrível para a Ponte Luís I, cheia de bares e restaurantes caros mas com vista incrível.

o porto visto de vila nova de gaia

CLÉRIGOS

A região da Torre e Igreja dos Clérigos é bastante turística e bem gostosa. É ali que fica a Livraria Lello, que inspirou a escritora JK Rowling, é um dos lugares que eu mais amo na cidade. Logo em frente a Praça dos Clérigos é uma praça em cima de um centro comercial, um passeio bem gostoso. De noite a Rua Galerias de Paris ficam cheias por causa das baladas/discotecas que costumam começar a animar depois da meia noite e aos sábados tem uma feira de rua com artesanato super português.

igreja dos clérigos

CEDOFEITA

Aqui a gente pode se encontrar pra tomar uma cerveja ou um café, já que é pertinho de onde eu moro. A Rua de Cedofeita já teve seu auge de comércio mas ainda é um passeio gostoso de fazer já aqui que não passam carros. Fica aqui do ladinho também o Café Dunas que é a nossa segunda casa, Seu Fernando e Dona Aduzinda nos adotaram em Portugal praticamente. A Rua Miguel Bombarda é a minha favorita da cidade e reúne várias galerias de arte e lojinhas de designers independentes, o café Rota do Chá e lojas de produtos naturais. Dá pra seguir esta rua até os Jardins do Palácio de Cristal, um parque bem bonito – que eu já contei aqui – e que tem uma linda vista do Rio Douro também.

igreja do carmo

RUA DE SANTA CATARINA E BOLHÃO

A rua de comércio do Porto fica super lotada próximo a datas festivas, são várias lojas das mais conhecidas até algumas mais turísticas vendendo produtos locais. Na sua parte mais alta fica a Capela das Almas, uma igrejinha com os azulejos super impressionante. Perto dali fica o Mercado do Bolhão que eu super recomendo a visita mesmo  não estando em seu total funcionamento já que há algum tempo – e pelo visto por mais um bom tempo – está em reforma. É um mercado municipal onde se pode comprar comida, legumes, frutas e artesanato portugueses. A Confeitaria do Bolhão é um lugar super gostoso pra experimentar os doces portugeses.

um cantinho

Bom, agora pra saber um pouquinho mais sobre esses lugares, veja aqui no mapa e seleciona os seus preferidos também. Nos próximos posts vou falar das cidades ao redor do post também, pra ficar bem completinho.

Não esquece de dividir comigo se descobrir algum lugarzinho gostoso também!

Continue Reading

SOBRE ESTAR ABERTO A SURPRESAS

Antes dessa viagem, especialmente em viagens curtas, eu sempre fiz mapas e roteiros. Organizava o que queria ver e fazer pelas regiões de cada cidade, assim os passeios faziam mais sentidos e não deixava quase nada pra trás. Claro que sempre tinha espaço pro desconhecido, pros passeios sem rumo. Mas a minha lógica era que estando pouco tempo num lugar que tem muito pra me oferecer eu precisava ser certeira e eficiente. Tenho essa mania de organização e nas viagens não tinha porque ser diferente.

Assim que a começamos a viajar juntos temos um ritmo diferente. Sem pressa a gente descobre os melhores lugares da maneira que a gente mais gosta, que mais tem a ver com a gente. Desde o começo planejamos muito pouco, mas muito pouco mesmo. Não ficamos procurando as melhores épocas para estar em cada lugar, as vezes fazemos caminho que não fazem tanto sentido e é difícil quando temos certeza do nosso próximo destino.

Alguns vão dizer que planejamento é fator decisivo pra uma viagem como essas. Pra gente, não é. Então funciona assim também. Hoje a gente não vasculha tudo sobre o próximo destino, nem muitas fotos mais a gente vê da próxima cidade.

A verdade é que isso não é uma maravilha. Sabemos que as vezes pagamos passagens de avião mais caras do que deveríamos ou que não vamos conseguir ninguém no couchsurfing pra nos hospedar amanhã. Mas a gente tem se divertido com a sorte / acaso / coincidência.

Chegamos em Luang Prabang, cidade do Laos, faz dois dias. A vinda foi difícil, foram muitas horas num micro-ônibus a 30km/h, onde nem as minhas pernas cabiam de tão apertado. A estrada não tem asfalto e a quantidade de curvas se aproxima ao infinito. Quando chegamos, sem lugar pra ficar porque as vezes nem isso a gente planeja, encontramos pousadas cheias e hotéis caros. Demorou encontrar um lugar que a gente pudesse pagar e, como já era tarde, tomamos banho gelado porque ninguém mais conseguia nos ajudar.

Poderia ser uma tragédia se não fosse a comemoração de 20 anos que a cidade foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Então chegamos numa cidadezinha super bonita e que parece que parou no tempo cheia de coisas pra fazer. Desde que estamos aqui já vimos vários filmes produzidos no sudeste asiático, já fui numa conversa com um americano que tem um projeto fotográfico com cinemas de rua super parecido com minhas pesquisas, já fomos em workshop de produção cinematográfica e em algumas performances sem graça. Amanhã nos esperam 20 elefantes que acabaram de chegar de uma caravana pra preservação da espécie. E nada disso estava nos nossos planos.

Deixar de pesquisar sobre todos os detalhes do próximo destino, além de me deixar mais relaxada, me faz encontrar o desconhecido, me faz ver pela primeira vez os lugares que visito. Pode ser uma cidadezinha nova perto de onde você está, um restaurante que um local diz pra você ir ou a comida que ele sugere você comer, pode ser aquela fruta que você não faz ideia do que é, aquela portinha que você ficou curioso e entrou. Deixar espaço para as surpresas durante uma viagem pode sempre trazer experiências divertidas.

Continue Reading