NA MURALHA DA CHINA (24/08/15)

Tem lugares que a gente houve falar desde pequeno, né? As pirâmides do Egito, o Taj Mahal, a Torre Eiffel e, claro, A Muralha da China! Com certeza todo mundo sabe alguma coisa: dizem que atravessa o país inteiro, que dá pra ver do espaço, que demorou dois mil anos pra ficar pronta.

Foi só quando chegamos lá que nos demos conta do quanto era incrível aquele passeio e como era especial estar num dos lugares mais inacreditáveis do mundo. Passamos horas andando, subindo e descendo aquela infinidade de degraus. A paisagem é incrível e o dia estava bem ensolarado. Para subir você vai de teleférico e pra descer com um carrinhos num tobogã. O máximo! É mais de um km de descida e muita diversão se não tiver nenhum lerdo na sua frente.

A maior parte da muralha foi concluída na Dinastia Ming, e foram mesmo mais de 2 mil anos, a razão da sua construção é um pouco duvidosa, já que a China não corria risco de invasão na época. São mais de 20.000km e ela é, claro, a maior fortificação militar já existente. De Pequim as áreas mais famosas que podem ser visitadas são: Badaling, que é mais perto e por isso a mais restaurada mas muito movimentada. Mutianyu, a parte que a gente escolheu ir porque não é tão visitada e ainda tem áreas originais Simatai e Jinshaling, que foram pouquíssimo restauradas chegando até ser difícil de andar em algumas partes.

Como a gente prefere visitar os lugares no nosso tempo não gostamos de visitas guiadas, de ter hora pra chegar e sair. Pegamos o ônibus 916 Express, na estação Dongzhimen. No distrito de Huairou é preciso trocar de ônibus e, apesar de parecer uma tarefa impossível já que ninguém entende inglês, dá tudo certo. A gente, na ida, dividiu um táxi com 4 chinesas – isso mesmo, as 4, mais nós dois e o motorista – um desses momentos da viagem que o Dan me pergunta: `Namorada, você tem idéia de onde a gente tá?`. E, realmente, as vezes eu acho mesmo que não tenho.

De transporte gastamos em torno de ¥80, o teleférico, slide car e a entrada da muralha juntos ¥320. Lembrando que somos em dois. A cotação naqueles dias era em torno de R$1 = ¥1,60.

Comentários

Comentários

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *